segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Viajando com crianças pequenas!

Uma das nossas viagens com o Heitor!

Viajar com um filho pequeno é maravilhoso! Não importa o que digam as más línguas, viajar com as suas crianças, independente da idade, é uma experiência que não pode deixar de ser vivida. Conhecer um lugar novo, viver momentos felizes e curtir cada segundo da viagem... Isso tudo é muito melhor quando estamos ao lado daqueles que mais amamos. Por isso meu filho vai sempre acompanhar o papai e a mamãe em todas as viagens que fizermos! Porque é assim que gostamos, quando estamos todos juntinhos!


Muitas pessoas acham que dá trabalho viajar com criança, que criança não aproveita, que não se lembra de nada e outros argumentos estrategicamente escolhidos para dar uma desculpa a si mesmo e aos outros. Preferem deixar uma criança pequena aos cuidados de terceiros, normalmente os avós e depois voltam morrendo de saudades! É claro que isso é muito prático, e assim os pais podem curtir sua viagem sem se preocupar em cuidar de uma criança, mas, me desculpem a sinceridade, pra mim em 95% dos casos isso é simples preguiça de cuidar do próprio filho!


Sinceramente não consigo me imaginar planejando uma viagem legal, curtindo uma praia, conhecendo a Disney, passeando por museus em Londres, visitando catedrais em Paris ou fazendo qualquer viagem sem a companhia do meu filho! Se tem algum lugar onde meu filho não pode ir, tudo bem, eu adio a visita a esse destino por um tempo! Uma viagem com criança pequena precisa ser planejada pensando nela. É claro que conhecer a Disney em três dias com um bebê de dois anos vai ser péssimo pra criança. Ir a NY com uma criança de colo e querer estar nos musicais da Brodway a madrugada inteira idem. O mesmo vale para viagens de mochilão correndo de cidade em cidade na Europa e dormindo em trens e aeroportos. Você tem um filho? Assuma as consequências, sua forma de viajar tem que mudar!


As pessoas então se perguntam: Mas será que não vai dar trabalho?! É claro que vai! Criança dá trabalho em qualquer lugar: em casa, na casa dos avós, na praia, em parques. O meu filho é capaz de deixar a casa de cabeça pra baixo em questão de minutos, e olha que esse pequeno destruidor só tem 2 aninhos! Viagem com criança é assim mesmo, com muito mais trabalho, atentando para cuidados extras, o ritmo é diferente! Mas também é uma viagem com muito mais felicidade, com momentos únicos, com certeza uma viagem infinitamente mais prazerosa! Se for pra pensar que filho dá trabalho, melhor nem ter, né?! Mas como filho é bom (bom demais da conta) vamos levar os filhos junto nas nossas viagens, vamos deixar que eles aproveitem a viagem conosco! Uma vez me falaram que era maldade (sim a pessoa disse maldade) levar bebê pra Disney, pra mim maldade é ir curtir a Disney e deixar o filho em casa!


Bebês e crianças pequenas se desenvolvem muito em viagens, seja na questão da fala, na socialização, no raciocínio. A criança aprende muito com culturas diferentes e estímulos visuais novos, se socializa com crianças que às vezes nem falam a mesma língua, prova sabores e temperos novos (bem, nós damos comidas diferentes pro nosso filho, há quem prefira controlar mais estritamente a alimentação dos pequenos). E mesmo que no futuro ela não se lembre da viagem vale a pena por todos os momentos de diversão que a família passa junto, todas as memórias e as fotos. Por isso eu estou convencida: os pequenos merecem fazer parte da viagem!


Nossa experiência...
O Heitor (meu filhotinho) fez uma viagem curta para o interior da minha cidade quando tinha três meses, foram 3 dias para o papai descansar um pouquinho do trabalho. Depois fez uma viagem de fim de semana para o Rio de Janeiro para conhecer a casa da vovó e fez três viagens para Orlando. Na primeira vez ele tinha 11 meses, na segunda 1 ano e meio e na terceira já tinha 2 anos e 2 meses. Em cada uma das viagens ele era um bebê diferente. Na nossa primeira vez em Orlando, ainda muito pequeno, ele nem andava, ficava sempre no colo ou no carrinho, mas ficou fascinado com tudo de novo que ele viu: todas as cores, personagens, animais, shows, paradas. Ele ficava muito curioso com tudo que acontecia a sua volta. Na segunda viagem ele já andava e tinha começado a falar várias palavrinhas, mas ficamos impressionados com salto de desenvolvimento que ele teve na fala. Ele deve ter voltado com o dobro do vocabulário que ele já tinha. Nós sempre mostrávamos as coisas, dizíamos o nome e ele se esforçava para repetir (foi, por exemplo, no parque do Sea World que ele aprendeu a falar baleia, golfinho, tubarão, peixe, arraia). Na nossa terceira viagem o Heitor já era uma matraquinha, falava tudo (até o que não podia! rsrs). E percebemos que foi quando ele começou a se interessar muito por todos os brinquedos, adorava andar de trenzinho, repetia o carrossel e ia a todas as atrações infantis. Nessa viagem (como nas anteriores) ele curtiu muito encontrar os personagens nos parques da Disney, era muito fofo, ele ia correndo até o personagem, abraçava, dava beijo, posava pra foto! Nós escutávamos as pessoas em volta dando risinhos e comentando como era fofo! Rsrsrs

Agora temos planos de conhecer Inglaterra e Paris. Se as pessoas já achavam ruim levar criança para Disney, imagino que vão me chamar de louca quando eu falar dos meus planos de passar as tardes com o Heitor em museus! Rsrsrs


Vamos então ao que interessa...

Acho que com essa experiência nas viagens para Orlando e já pesquisando muito na internet sobre viagens com bebês (inclusive para Europa), queria compartilhar um pouco sobre o que é viajar com um bebê ou uma criança pequena.


Documentação:


Antes de tudo é importante pensar na questão da documentação. Em viagens para dentro do Brasil e para a América do Sul a criança só precisa de certidão de nascimento (ou identidade, para os pimpolhos quem já tem). Em viagens internacionais (fora a América do Sul) a criança, independente da idade, precisa de passaporte, mas isso não exclui a necessidade da certidão de nascimento, já que no passaporte não tem a filiação. Então, reforço isso, a certidão de nascimento tem que estar junto com o passaporte durante a viagem. É a única maneira de provar que o bebê é mesmo seu filho!

O passaporte é tirado na Polícia Federal e a criança e os dois pais precisam estar juntos no dia de tirar o passaporte. O passaporte de bebês de até 1 ano de idade tem validade de somente 1 ano e a medida que o bebê vai crescendo a validade vai aumentando. Isso acontece, segundo informação do próprio policial federal, porque o bebê muda muito a fisionomia e a foto precisa se alterada com frequência.

Precisamos falar também sobre o visto. Alguns países pedem e outros não. Por enquanto só fomos para os EUA (por isso ainda não tenho muitas informações sobre outros países). Para entrar nos EUA a criança, assim como os pais, precisa de visto. Mas diferente do passaporte, a criança não precisa ir para a entrevista (até os 14 anos). Uma coisa que provavelmente vai acontecer com todos os pais que viajam com bebês é que vai chegar uma data em que o passaporte onde está o visto de bebê vai vencer (mesmo com o visto ainda valendo), nesse caso não tem porque se preocupar, é só tirar um passaporte novo e andar sempre com os dois passaporte, o válido e o que contém o visto.

Uma amiga blogueira e apaixonada pela Disney também fez um post no blog dela dando dicas sobre viagens com bebês. E ela explica detalhadamente como fazer para tirar passaporte e visto, acho que vale a pena uma visitinha lá no blog dela.

O longo caminho até o destino...

Uma coisa que costuma tirar o sono das mamães (e vou confessar que é algo que até hoje sempre me deixa meio aflita) é o trajeto até o destino, seja uma pequena viagem de carro ou algumas horas de avião.

É muito importante lembrar sempre da necessidade do uso da cadeirinha no carro. Eu acredito que a criança se sinta mais confortável na própria cadeirinha, mas sempre há a opção de alugar o carro já com cadeirinha (apesar do custo benefício não ser tão bom e a cadeirinha não ser muito confortável). Muitas horas dentro de um carro pode ser cansativo tanto para o bebê como para os pais. É interessante contar com algumas paradas durante a viagem para o bebê descansar um pouco e se esticar. Brinquedinhos, livrinhos, DVD portátil e snacks ajudam muito. O meu filho gosta muito de assistir vídeos e brincar com aplicativos do iphone (é uma mão na roda)!

Quando o meio de transporte é o avião, acho que temos ainda mais coisas a falar. Bom, até os 2 anos crianças não pagam passagens em vôos nacionais e pagam 10% do valor da passagem em vôos internacionais (sempre indo no colo dos pais). A partir dos 2 anos a criança passa a pagar 75% do valor da passagem, tendo agora direito a uma poltrona. Os aviões têm assentos preferenciais, que ficam bem na frente, tem mais espaço para as pernas e contam com um bercinho (é importante verificar com a Cia aérea o peso que o bercinho suporta, mas mesmo que não vá usar o bercinho, é bom ter esse espaço a mais nas pernas para o bebê ter um pouco mais de liberdade). Esses assentos preferenciais precisam ser solicitados diretamente com a cia aérea (na hora de comprar a passagem é bom já verificar maiores informações, muita coisa muda de empresa para empresa). Algumas cias áreas não costumam respeitar muito o direito dos pais e tem o costume de vender esses assentos para quem quer mais conforto (um desrespeito, mas infelizmente acontece).

Bercinho do avião!
Uma decisão que precisamos tomar em vôos longos é escolher entre vôo diurno e vôo noturno. Na minha primeira viagem fiquei com medo de viajar a noite com o Heitor porque ele sempre acordou muito a noite e tive medo que ele despertasse no avião e acabasse incomodando os passageiros, por isso optei por um vôo diurno e percibi que acaba sendo mais cansativo porque o bebê passa mais tempo acordado. Minha surpresa foi quando, na nossa segunda viagem, fizemos um vôo noturno e o Heitor simplesmente apagou durante todo o vôo, fiquei maravilhada! Então para nós o vôo noturno foi muito bom! E se for sem escalas é melhor ainda!

As empresas dizem que fornecem comida para as crianças, mas nem sempre isso é respeitado e pode acontecer da criança não aceitar a comida do avião...nesse caso minha dica é levar aquelas papinhas e sopinhas prontas (no vôo os funcionários aquecem a papinha em banho-maria). Nós sempre levamos também alguns snacks como biscoitos, barrinha de cereal, chocalate, balinha...que além de tapear a fome entre as refeições podem ajudar o tempo a passar para os pequenos. Falando em distrair os pequenos, muitas coisas podem ser feitas para que o tempo passe mais rápido. Para os pequenos que gostam de desenhos, vale a pena levar computador ou iphone recheado com os desenhos preferidos da criança. Também vale a pena fazer uma mochilinha com alguns brinquedos, bonecos, giz de cera, papel...coisa pequenas e que possam entreter a criança. Mas vale a dica de não levar brinquedos que façam barulho para não incomodar os outros passageiros. Ah, antes que eu me esqueça de comentar, é permitido sim levar no vôo alimentos para o bebê, desde que sejam industrializados e estejam fechados...então podem ficar a vontade para levar papinha, biscoitos, leite em pó (mas a mamadeira sem água).

Não podemos esquecer também de fazer uma malinha de mão bem completa para o bebê, com roupinhas fresquinhas e também roupas de frio... Depois de um tempo de vôo casaco e meias serão bem-vindos! Fraldas, lenços-umedecidos, chupeta, mamadeira...não podemos esquecer nada! Nessa bolsinha vale a pena também levar uma muda de roupa para a mamãe e o papai, nunca se sabe quando a criança resolve fazer uma arte e derramar suco no colo de alguém, né?!

Um vôo longo muitas vezes é cansativo demais para as crianças, por isso acho que vale a pena conversar com o pediatra sobre o uso de antialérgicos ou antieméticos para a criança dormir um pouco ou pelo menos ficar sonolenta durante o vôo. Em algumas crianças, porém, o dramin tem efeito contrário e deixa a criança mais agitada (é o caso do meu filho), por isso é bom testar alguns dias antes da viagem. Para esses casos, é possível dar algum anti-alérgico infantil como polaramine. A pediatra do Heitor mesmo disse que prefere o anti-alérgico porque não faz mal para a criança, a dosagem para a criança dormir é normalmente um pouco maior do que a dose nos casos em que a criança toma o remédio por causa de alguma alergia...mas é muito importante conversar primeiro com o pediatra antes de tomar uma decisão sobre dar dramin ou polaramine para a criança dormir no vôo.

Ainda sobre o vôo tem algo que é muito importante: o risco da dor de ouvido! O Heitor teve dor de ouvido na nossa primeira viagem, foram mais de 40 minutos chorando de dor (a mamãe desesperada chorando junto)! Isso tudo por um simples descuido nosso. Durante a decolagem e o pouso é importante que o bebê estejam sugando algo, pode ser uma chupeta, mamadeira ou o peito. Para os mais velhos, balinha e chiclete resolvem o problema. Eu sou meio neurótica com isso, mas já passamos pela experiência e sinceramente não quero meu filho sentindo aquela dor novamente. É um cuidado simples e por poucos minutos! Não custa mesmo tentar evitar que o bebê sofra.

Acho que terminamos esse tópico falando um pouquinho sobre a bagagem. Muitas informações rolam na internet e várias pessoas falam sobre que bagagem o bebê tem direito no vôo, o problema é que cada empresa tem uma política de bagagem diferente, por isso vale a pena acessar a página oficial da Cia aérea ou entrar em contato com eles.  Nas nossas 3 viagens o Heitor teve direito a bagagem (1 malas de até 32kg, 1 mala de mão até 10kg e 1 bebê conforto, que nós substituímos por uma cadeirinha de carro). Além das malas, ainda levamos carrinho, que não conta como bagagem. Algumas companhias permitem que o carrinho vá até a porta do avião e de lá ele é despachado, mas outras cias já exigem que o carrinho seja despachado na hora do check-in, outras levam em conta o tamanho do carrinho e só permitem ir até o avião com carrinhos do tipo guarda-chuva. Enfim, é realmente necessário descobrir como funciona exatamente a política de bagagens para bebês na Cia que você vai viajar.


Cuidados com a saúde:

Antes de viajar com o bebê é bom marcar uma consulta com o pediatra e conversar sobre a viagem. É bom saber com a pediatra sobre algum possível cuidado extra com o bebê, perguntar sobre uso do remédios para o bebê dormir durante o vôo e principalmente pedir a receita de vários remédios (até antibiótico), assim se você precisar mostrar a receita quando estiver entrando no país não terá problemas. Lembrando que a receita vale 30 dias, então peça para o pediatra colocar uma data que tenha validade para todo o período da viagem. Leve para a viagem o número de celular do pediatra, caso seja necessário entrar em contato. E não tenha vergonha de ligar se for preciso!

Após a visita ao pediatra, chega o momento de montar a farmacinha. Mesmo que no país de destino seja possível comprar remédios para febre e dor, por exemplo, acho que vale a pena levar tudo do Brasil, assim evita-se todo o trabalho de ficar horas na farmácia tentando identificar o princípio ativo de determinado remédio (acreditem, experiência própria). É importante levar remédios para dor e febre, remédios para enjoo ou diarreia, para dor de ouvido (e outras dores que vocês possam imaginar). Nós levamos até antibiótico e a pediatra nos orientou sobre quando e como usar. Também é muito útil levar um termômetro. A farmacinha pode ser despachada com a mala, mas caso ache necessário, alguns remédios (para dor, por exemplo) podem ir na mala de mão, no limite máximo de 100 ml.

É muito normal a criança ter algum tipo de desconforto em viagens. O clima, a comida, o ritmo do dia-a-dia, tudo é diferente. Nesse momento é importante ter calma e paciência com a situação e dar o máximo de amor e carinho para o pequeno. Se a criança não estiver bem, vale a pena ficar um dia quietinho no hotel (deixando o passeio do dia de lado), deixando a criança brincar do que ela quiser, sem se expor ao sol, dormindo confortavelmente (e sendo medicada de acordo com a necessidade). É normal também os pais se culparem pela situação e maldizerem a si próprios, mas acreditem, é tudo preocupação do momento, logo a criança melhora, volta a fazer bagunça e tudo é festa novamente.


Conforto para passear com o bebê:

Independentemente do destino, os passeios costumam levar o dia inteiro, seja para passear pelas ruas da cidade, bater perna no shopping, passar o dia nos parques da Disney, visitas museus e prédios históricos. E obviamente as crianças não aguentam o dia inteiro em pé e os pais não aguentam a criança o dia inteiro no colo. É aí que entra o carrinho...item de primeira importância em viagens com bebês e até com crianças pequenas, acredito que até os 5 ou 6 anos a criança ainda precise do carrinho para descansar. Os menores ainda usam o carrinho para aquela soneca diária. Para quem vai viajar para os EUA vale muito a pena comprar um carrinho por lá, são ótimos carrinhos a preços melhores ainda!
Sonequinha diurna no carrinho!

Como nem sempre a criança aceita ficar no carrinho e as vezes ela quer um colinha da mamãe, o que salva nossas costas e braços nesse momento é o uso de sling ou canguru. Eu particularmente prefiro o sling, acho mais confortável para o bebê (e também para quem carrega), mas em locais muito quentes pode ser desconfortável, nesse caso optamos pelo canguru.
Sonequinha no canguru!

Para os pequenos que já andam e correm por aí, a mochilinha com cordinha pode ser a diferença entre manter a criança por perto e perdê-la no meio da multidão. Algumas pessoas não gostam porque dizem que parece uma coleira, mas acho que quando a criança é muito agitada e gosta de sair correndo pra todos os lados, essa pode ser uma maneira de ter segurança de que a criança não vai se perder. Afinal, a segurança dos nossos pequenos em primeiro lugar, né?! Nós até compramos e o Heitor usou uma vez, mas ele é bem tranquilo quando estamos passeando, fica quase sempre de mão dada e nunca vai para longe demais! Mas fica aí a dica! Falando ainda em segurança é bom que a criança tenha sempre com ela seu nome, nome dos pais e telefone de contato (pode ser algum crachá ou qualquer outra forma), para o caso dela se perder. Para as crianças maiores é bom orientar sempre a procurar algum segurança e, em casos de locais fechados, nunca deixar o local com estranhos.


Preparando a bolsa do bebê para o passeio:

Em passeios onde vamos passar o dia inteiro fora do hotel, é importante preparar uma bolsa bem completa. Algumas mudas de roupas para o bebê, um casaco é sempre bom (mesmo em dias quentes porque pode ter sempre um local com ar-condicionado muito forte), uma blusa para a mamãe também vai bem, chupeta e mamadeira, um ou dois brinquedinhos pequenos, além de snacks, frutas e a garrafinha de água é claro.


Contando com a ajuda dos eletrônicos...

Heitor se distraindo com os apps do iphone em um restaurante!
Eu sei que muitas mães não acham certo a criança ficar assistindo desenho e blábláblá. Não vou entrar no mérito do que está certo ou errado, só vou dizer o que para nós funcionou. O Heitor adora desenhos e a minha TV passa o dia inteiro ligada, ele não assiste o dia inteiro, mas fica intercalando entre as brincadeiras e os desenhos. Já pensando nisso, aproveitamos esse interesse para ajudar nos momento em que precisávamos que o Heitor ficasse quietinho durante a viagem.

Para viagens de carro ou mesmo em viagens de avião, onde no destino, será alugado um carro vale muito a pena levar um DVD portátil. Andar de carro é muito chato e dá pra entender a frustração dos pequenos. As vezes só o fato da criança estar assistindo os desenho de que tanto gosta, ajuda o tempo a passar mais rápido. Esse mesmo DVD pode ser levado para o quarto do hotel e ligado na tomada e a criança pode, antes de dormir, se acalmar um pouco assistindo seus desenhos!

Outro eletrônico que costumo dizer que é mais do Heitor do que meu é o Iphone, ele ama, brinca com aplicativos infantis, vê fotos, assiste vídeos dele mesmo, acessa o youtube para assistir desenhos. É uma ferinha esse meu mocinho! Para as viagens, como nem sempre temos acesso a internet, o meu marido, ainda em casa, converte vários vídeos (Mickey, Pooh, Mini-Einsteins, Pocoyo, A galinha Pintadinha e diversos outros), salva no computador e transforma em arquivos MP4, assim ele pode jogar todos esses vídeos no Iphone e o Heitor tem diversão garantida por horas. Tem espaço para muitos desenhos. Então naquela hora em que vocês estão, por exemplo, almoçando em um restaurante legal e a criança está entediada querendo destruir o restaurante, é só dar o iphone para o pequeno! Em 90% das vezes, é a solução para os nossos problemas!


O hotel...

Quando viajamos com crianças pequenas a escolha do hotel é outra coisa que deve ser feita observando vários detalhes. Acho que o tipo de hotel que a família deve procurar depende muito do local e também do estilo da família. Uma viagem para a praia vai ser muito mais gostosa se o hotel tiver uma boa piscina infantil. Em um local frio a piscina é dispensável, mas um playground é bem vindo. Um hotel na Disney nem precisa de playground, afinal a família vai passar o dia todo nos parques. Em grandes cidades às vezes vale mais a pena alugar um apartamento do que ficar em um hotel, tanto pelo valor como pelo espaço maior, tendo até a possibilidade de se ter uma cozinha completa. Há quem faça caretas nesse momento e diga “Eu não vou pra cozinha quando estou viajando”! Bom, que pena que você não vai, as vezes com uma passadinha rápida no mercado para comprar umas verduras e mais 30 minutinhos a noite preparando uma sopinha caseira, o seu filho pode abrir um bocão e comer super bem! Enfim, fica a dica para quem possa interessar. Vale lembrar que vários hotéis na Europa só tem banheiro coletivo, e isso eu realmente não acho legal para quem tem criança, então atenção especial na hora de reservar o hotel.

Alguns hotéis fornecem um bercinho (desmontável) para quem viaja com bebês ou crianças pequenas. Mas isso precisa ser verificando na hora da reserva. É possível também trocar o bercinho por uma cama de solteiro, mas nem sempre essas camas desmontáveis são confortáveis. Para nós o que realmente funcionava era o Heitor dormir na cama conosco.


Carro, metrô ou taxi?

Acho que para quem tem filhos pequenos logo de cara já pensa em alugar carro sempre, é mais confortável e em alguns lugares é realmente a melhor opção. Nós com certeza alugaríamos carro para viagens ao Nordeste, Rio ou Sul do país. Para uma viagem a Disney ter um carro também é a melhor opção, já que taxi em Orlando é muito caro. Já em NY parece ser mais interessante andar de taxi (já que é mais barato e você encontra taxi aos montes pela rua). Em viagens pelo interior dos países da Europa em geral acho que vale alugar carro porque fica mais complicado andar de ônibus por horas, esperando em estações e às vezes preso em lugares sem estrutura com uma criança pequena. Por vezes precisamos parar um pouco para a criança se esticar e estando de carro tudo é muito mais fácil. Viajar de trem na Europa é outra opção, da Inglaterra para a França, por exemplo (isso é algo que queremos experimentar...o Heitor adora trens)...os trens tem mais espaço que os aviões e as crianças ficam assim com um pouco mais de liberdade. Mas em  alguns lugares, alugar um carro é puro transtorno e taxi acaba ficando muito caro. Em nossos planos de férias em Londres e Paris, pensamos em ficar somente por conta do transporte público, em primeiro lugar porque o trânsito em Londres é meio complicado e é muito caro estacionar e em segundo porque taxi é muito caro (seria usado em último caso em dias de muita andança quando estivermos muito cansados). O que nos tranquiliza é o que o transporte público nesses lugares realmente funciona.

Então, não dá para ter uma decisão formada sobre o meio de transporte nas suas férias até saber exatamente o destino e o que seria a melhor para esse local. No fim, tudo depende de muita pesquisa!


Alimentação:

 

A questão da alimentação é um ponto delicado, cada mãe tem uma opinião formada dobre o assunto. Algumas crianças só comem coisas saudáveis, outras misturam comidas saudáveis com besteiras. Independente de que tipo de alimentação você acha correta para o seu filho, é sempre possível se organizar para evitar dificuldades na hora do “papa” do pequeno.

Minha primeira dica é: Assim que chegar ao seu destino, ainda no primeiro (ou no segundo) dia de viagem procure um mercado grande e faça uma boa compra de frutas. Maçãs e banana são boas porque não precisam ser refrigeradas, mas compre também as frutas preferidas do seu filho. Aproveite para comprar no mercado um pote térmico para guardar as frutinhas picadas e geladas durante o passeio. Outros alimentos podem ser levados para o passeio em potinhos pequenos ou mesmo em saquinhos do tipo zip-loc, como biscoitos doces ou salgados, cereais tipo froot-loops, castanhas, salgadinhos, barrinhas de cereal, frutas secas. São muitas opções e aí é só cada mamãe escolher o que o seu pequeno vai comer. No passeio a mamãe pode levar em uma garrafinha térmica suco ou água de coco, sem esquecer outra garrafinha com água.


A escolha de restaurantes é sempre muito pessoal e depende do local da viagem. Fica difícil aqui dar dicas de restaurantes. Muitos restaurantes tem menu infantil, playground e distração para os pequenos. Mas mesmo aqueles restaurantes sem muito atrativo para os pequenos deve ser visitado se for interesse dos pais, acho que também não devemos deixar de conhecer restaurantes legais só porque é um restaurante mais voltado para os adultos. É sempre bom conversar com o garçom e verificar sobre o tempero da comida pra não correr o risco de pedir um prato muito temperado ou apimentado, isso pode fazer mal para o estômago da criança que é mais sensível (sem esquecer de sempre de experimentar a comida antes de dar para a criança, afinal não dá para confiar 100% no garçom). Alguns restaurantes têm sopas de entrada e muitas vezes essa se torna a refeição do pequeno (o Heitor adora). Para os bebês, muitas vezes é mais interessante levar as papinhas prontas para o restaurante, aí lá é só pedir para o garçom esquentar.

Fast food é o terror de algumas mães, mas poxa vida, os pequenos estão de férias. É hora de comer besteira, se lambuzar todo e ser feliz. Vale muito a pena, durante a viagem sair para comer um fast food à noite, depois do cansaço de passear o dia inteiro: É rápido, barato, não dá trabalho e logo estamos livres para voltar para o hotel e dormir! Hambúrguer, batatinha-frita, pizza! E vai dizer que criança não fica louca quando vê aquele grande M do McDonalds?! O meu pequeno fico alucinado falando “Vamos mamãe, comer iche iche, com batatinha e ketchup”! E ele se lambuza todo! Isso faz parte de se divertir durante a viagem!

Nos mercados sempre encontramos papinhas e leite em pó para os bebês, mas se estiver fora do Brasil vale a pena pensar em levar as papinhas daqui. Nos EUA mesmo as papinhas são horríveis (joguei umas 15 papinhas fora), o Heitor não aceitou de jeito nenhum e quando eu experimentei eu entendi. rsrsrsr

Os quartos do hotel nos EUA costumam ter frigobar e microondas (é bom verificar sempre antes de reservar), assim tudo fica mais fácil. Dá para guardar as frutas e danoninhos no frigobar sem preocupação e usar o microondas até para esquentar uma papinha ou mesmo uma comidinha pronta de mercado. Para quem vai passar mais de 20 ou 25 dias, alugar um quarto de hotel tipo suíte (como a rede extended stay - que tem fogão) ou um apartamento de temporada pode ser uma ótima decisão. Para aquele dia no meio da viagem que vocês tiram para ficar descansando no hotel, dá para preparar uma comidinha para o pequeno, mesmo que seja uma sopinha de vegetais ou um purê de batatas com vegetais! Ou para os dias que chegarem mais cedo e quando houver um mestre cuca na família!


Bebês na Disney:


Como não poderia deixar de fora, quero falar um pouquinho desse lugar dos sonhos! É claro que quando digo Disney quero dizer Orlando e isso inclui os parques da Universal e Sea World (e até se estende a Tampa, incluindo o Busch Gardens).

Fomos pela primeira vez para Orlando em setembro de 2010, o Heitor tinha 11 meses e nos apaixonamos, tanto que voltamos mais 2 vezes no período de 1 ano!  Quem tiver interesse de ler sobre o nosso dia-a-dia, tem o relato de todos os dias das nossas viagens no blog! É só se pegar o balde de pipoca e começar a se deliciar com todos os relatos, fotos e vídeos! :-)

Orlando é um lugar feito para crianças. Os parques têm muitas atrações, playgrounds, shows e personagens. É um mundo que cheira magia, que tem muitas cores e sons. É mesmo um mundo de sonhos! As meninas podem se transformar em princesas (literalmente) e almoçar no castelo da Cinderela. Os meninos podem se tornar piratas (também literalmente...rsrsrs), brincar de espadas e encontrar o Cap. Jack Sparrow. Ou para os fãs de heróis, que tal uma foto com o Homem-Aranha?!

A estrutura nos parques é sensacional, a Disney e o Sea World tem locais chamados “Baby Care”. São salas onde podemos trocar os bebês, alimentá-los, amamentá-los ou mesmo deixá-los no chão brincando e assistindo desenhos. Nos baby care tem trocadores, poltronas de amamentação, brinquedos, microondas, cadeirões. E se você esqueceu de colocar fraldas na bolsa do bebê, lá tem para vender (assim como inúmeros outros itens).

 

Os restaurantes tem sempre um menu infantil e é possível durante a refeição encontrar personagens. No Magic Kingdom tem 2 restaurantes com personagens, no Crystal Palace encontramos a turminha do Pooh e no Cinderela Royal Table encontramos as princesas. No Epcot tem mais 2 restaurantes com personagens, no Akershus encontramos as princesas e no The Garden Grill encontramos Mickey, Pluto, Tico e Teco (com roupinhas de fazendeiros). No Disney Hollywood Studios tem o Hollywood and Vine, onde encontramos o Agente Urso, os Mini-Einstiens, o Pirata Jake e o Manny Mãos a obra. No Animal Kingdom tem o Tusker House onde encontros o Pato Donald e companheiros. Fora dos parques ainda encontramos restaurantes que oferecem café-da-manhã com personagens, o mais famoso é o Chef Mickey, onde encontramos o ratinho mais famoso do mundo e sua turma! Essas refeições são quase atrações, come-se muito bem (já incluindo a sobremesa) e as crianças se divertem encontrando os personagens que elas amam!

Nos parques sempre tem shows teatrais, paradas e shows noturnos! São maravilhosos e as crianças adoram! Podemos assistir a Celebrate a Dream Come True Parade sentados na main Street, com o castelo da Cinderela ao fundo, enquanto o Mickey passa no alto de um carro e o Tico e Teco vem brincar com os pequenos! É mágico! E esse é somente um dos shows que vimos em Orlando! É difícil descrever o que é um show das orcas ou dos golfinhos no Sea World, é de deixar adultos e crianças de boca aberta! E o que será que as crianças vão achar de dar um peixe na boca de um golfinho?!

Vamos falar um pouquinho sobre as atrações, playgrounds, personagense toda a magia que tem em cada um dos parques para os pimpolhos! A Disney tem 4 parques (magic Kingdom, Epcot, Animal Kingodm e Disney Hollywood Studios), a Universal tem 2 parques (Islands of Adventure e Universal Studios) e ainda temos o Sea World e o Busch Gardens.

O Magic Kingdom é um parque mágico! É onde encontramos toda a magia da Disney. Os pequenos podem tirar fotos com Mickey, Princesas, Fadas e diversos outros personagens. A área Fantasyland tem várias atrações infantis como Dumbo, Peter Pan, Philarmagic, Xícara maluca. A parada e o show em frente ao castelo são momentos ótimos!

O Epcot talvez seja o parque menos infantil da Disney, mas mesmo assim vale uma visita. É nele que fica a atração do Nemo e o Charatcer Spot (onde ficam Mickey, Minnie, Pateta, Pluto e Pato Donald esperando para tirar fotos). Tem também o Innoventions para crianças maiorizinhas experimentarem brinquedos científicos e o pavilhão do dragãozinho Figment!

O Animal Kingdom é uma mistura de parque e zoológico. Para os pequenos o show do Nemo é ótimo e o playground da Dinoland é bom para eles queimaram as energias. No Camp Minnie-Mickey encontramos vários personagens e é possível ainda ver vários animais e até tocar em ovelhas e burricos.

O Disney Hollywood Studios é também um ótimo parque. Os pequenos podem brincar no playground “Querida, encolhi a crianças”, podem assistir um show da Casa do Mickey Mouse, podem brincar de acertar o alvo no Toy Story Mania, além de encontrar personagens como o Mickey Feiticeiro, Pooh, Buzz e Woody e os Carros.

O Islands of Adventure é um parque muito legal. Os pequenos podem brincar no playground do barco do Popeye, ver dinossauros nascendo no Jurassic Center ou escalar redes no Camp Jurassic. Mas a área infantil mesmo é a Seuss Land, com personagens do Dr. Seuss e o Gato de Chapéu, ali tem carrosel, trenzinho, diversas atrações e até playground interativo com cavernas, surpresas e lugar pra brincar com água!

O Universal Studios tem uma ótima área para os pequenos. A área molhada é enorme. Tem uma fábrica de bolinhas onde milhares de bolinhas de espuma são atiradas e recolhidas por todos os lados, playground do Barney (e até showzinho do dinossauro rosa), e a área do pica-pau com montanha russa para os não tão pequenos mas ainda não tão grandes! São várias atrações e vários personagens como George o curisoso e o Homem de chapéu amarelo, Pica-Pau e Scooby-Doo!

O Sea World é um parque muito gostoso. Alí podemos ver animais marinhos, shows com orcas, golfinhos e focas. Os pequenos podem passar a mão nas arraias e alimentar os golfinhos (pago à parte). A área infantil (Shamu Happy Harbour) é bem legal, tem carrossel, atrações variadas, brinquedos interativos e um enorme brinquedão com redes, escorregadores e parquinhos de areia!

O Busch Gardens é um parque mais afastado (1:30h de Orlando) mistura um pouco de zoológico com atrações radicais. Mas mesmo assim é muito bom para os pequenos, tem uma área novinha da Vila Sésamo com várias atrações, parquinho de areia, área molhada, um enorme pula-pula e muitas redes. Pelo parque as crianças se divertem vende os animais e interagindo com eles é possível até comprar um copinho com néctar e alimentar os pássaros ou mesmo dar comida aos elefantes!

E para os papais curtirem as atrações também, os parques contam com o “baby/child swap”. Em atrações onde a criança não pode ir, os pais precisam se revezar e para que eles não tenham que entrar na fila normal 2 vezes, os parques se organizaram para facilitar nossa vida!

Mais informações sobre o baby swap e outras informações sobre Disney com crianças no post:

E para finalizar acho que vale a pena falar um pouquinho de compras. Orlando é um lugar ótimo para fazer compras para os pequenos. Roupinhas de qualidade a preço muito bons. Enquanto no Brasil uma calça jeans infantil custa cerca de 50 ou 60 reais, em orlando você encontra por 10 dólares. E isso funciona para os demais itens. Lá encontramos de tudo, roupas, brinquedos, carrinhos. Tem algumas lojas que gostamos muito...Macy`s, ROSS, Walmart, Target, Carter`s, Oshkosh B`gosh e Toys R`us ou Baby R`us.


E agora os planos para a próxima viagem do Heitor...
Londres
Paris
  
Nada ainda é certo, ainda não procuramos passagens nem definimos data, mas conhecer a Inglaterra (principalmente Londres) e Paris estão nos nossos planos para um futuro próximo! Nosso foco principal será Londres, alguns dias da viagem serão separados para o interior da Inglaterra e talvez 1 semana em Paris. Começamos então pesquisas sobre os museus, parques, catedrais e todos os possíveis passeios, sempre lembrando que teremos um criança de 3 aninhos, super disposta e bem curiosa!


Então pesquisei sites de dicas, blogs de mamães que viajaram com filhos para Londres e Paris e todas as informações que consegui encontrar na internet. Nem sabemos se vamos conseguir conhecer tudo que queremos, mas vamos nos esforçar para que essa viagem seja maravilhosa!


Algumas pessoas acharam loucura levar o Heitor para a Disney, então já dá para imaginar o que vão pensar quando eu contar nosso próximo destino! Rsrsrsr


Por tudo que pesquisei o Heitor vai se divertir sim! E se depender de nós vai se divertir demais! Vamos levá-lo para parques (e claro que vamos dar um pulinho na Disney de Paris), passeio de barco, playgrounds. Mas também vamos ensiná-lo a gostar de museus, a se interessar por bibliotecas, a aprender com uma cultura diferente... sempre de uma forma leve e divertida!
 
 
Vamos então a algumas dicas de passeios em Londres:
Museus: Acredito que talvez alguns museus sejam mais voltados para os adultos e talvez um pouco cansativos para as crianças, mas são tantas opções que acho impossível não achar coisas interessantes para os pequenos. É só saber procurar


O British Museum está no topo da nossa lista, quero ver (e quero com o Heitor aprenda) sobre os antigos Egípcios, Romanos e Gregos, quero que imerso em tantas informações, ele aprenda sobre tantas culturas diferentes!


O National History Museum também está no topo da nossa lista e tenho certeza que o Heitor vai adorar ver os planetas, os animais, até chegar nos dinossauros! Vai ser sensacional!


O Science Museum também está na lista. Acredito que uma criança de 3 anos vai ter curiosidade o suficiente para explorar bem esse museu, principalmente sobre a parte “Explorando o Espaço”.


O London Transport Museum é um museu que vamos mais por causa do Heitor, ele adora trens e ônibus (coisas de menino) e pelo que andei lendo as crianças adoram esse museu! Não podemos deixar de ir, mesmo que seja uma passada mais rápida.


Acho também que não dá para ir a Londres e não conhecer o Museu de Cera da madame Tussaud, não tenho a melhor ideia se o Heitor vai reconhecer alguma celebridade! Mas talvez ele se interesse pelo fato de que são bonecos em tamanhos reais.


O Imperal War Museum nós também devemos conhecer, acho que o papai vai adorar e acredito que o Heitor também vai gostar de entrar em um navio de guerra ou ver um desfile de aviões no céu!


Museus de Arte não são nossa prioridade, mamãe e papai não se interessam muito, mas devemos escolher um dos museus de arte para passar uma manhã. E tenho certeza que até os quadros podem ser interessante para o Heitor se soubermos como explorar a curiosidade do Heitor!


Atrações: Aqui com certeza está toda a diversão para o Heitor (e para nós também), vamos fazer muitas coisas legais.


Queremos muito ir na London Eye, ver Londres de cima e tirar muitas fotos! E o Heitor já fica falando que vamos para Londres andar de roda gigante! Rsrsr


O London Zoo não precisa nem de comentário, dizem que é um zoológico maravilhoso e não tenho dúvidas de que o Heitor vai amar!


O Sea Aquarium também não pode faltar. Adoramos animais marinhos!


Um Cruzeiro no Tâmisa é passeio certo pra nós, o Heitor também adora barcos e sei que será inesquecível!
O Planetário é algo que acredito que o Heitor vai gostar e papai e mamãe também querem conhecer!


Tower Bridge / Tower of London não podem ser esquecidos. O Heitor, hoje com 2 aninhos, fala que tem um cuco na Torre de Londres! Rsrsrsr


Como pais que incentivam a leitura não podemos deixar de levar o Heitor para conhecer a British Library. Ainda preciso pesquisar se existe alguma área infantil com leitura de histórias! Se não tiver, não vamos poder nos demorar muito porque um pequeno de 3 anos é meio barulhento e não dá para ficar atrapalhando quem está lendo, né?!


Estando tão pertinho devemos passar um tempo na Legoland para o Heitor brincar bastante e gastar energia.


E se der tempo, estamos pensando em passar na Hamley`s, a maior loja de brinquedos de Londres com 7 andares de pura diversão para os pequenos. Só fico com medo de saber quando vai custa esse passeio no fim! rsrsrs


Catedrais e Palácios: Mais passeios que não deixaremos de fazer! Aqui não sei bem como tudo funcionará para o Heitor, mas sei que a maioria dos palácios conta com um grande jardim e alguns até com playgrounds! Acho que vai ser aí que o Heitor vai se divertir mais, podendo correr a vontade! Para dentro das Catedrais e palácio acredito que a técnica de contar a história das coisas pode agradar muito o Heitor, ele é curioso e adora histórias.
Saint Paul’s Cathedral
Westminster Cathedral
Kensington Palace
Windsor Castle
Hampton Court Palace
Kew Palace
Buckinghan Palace


Os parques de Londres serão parada obrigatória no nosso roteiro, intercalando sempre com visitas a museus, assim não fica muito cansativo pra ninguém. Os diversos parques de Londres são enormes, as crianças podem correr a vontade, brincar e se divertir. Aproveitamos para fazer um piquenique e descansar enquanto vemos as belezas naturais. Alguns desses parques são ainda mais especiais, pois oferecem um diferencial na diversão dos pequenos.


O Kensington Park conta com o Memorial Diane Playground, uma área infantil muito boa, seu tema é Peter Pan e no parquinho de areia tem um navio pirata! E é no Regents Park que fica o Zoológico de Londres.


E talvez outros passeios ainda apareçam, queremos ver muitas coisas e absorver tudo que Londres tem a oferecer! Vamos passear pelas ruas vendo os prédios históricos,os museus, os parques e o Tâmisa. Vamos tentar ir em pelo menos um musical (Rei Leão talvez?!) e fazer jantares bacanas. Vamos conhecer ainda o interior da Inglaterra e levar o Heitor para ver o círculo de Pedra em Stonehenge e conhecer o Tor e a pequena cidade de Glastonbury. Vamos curtir muito!


Vamos então a algumas dicas de passeios em Paris:


Parques Temáticos: Para apaixonados pela Disney como nós somos, já dá imaginar parte da nossa programação, né?


Disneyland Paris e Hollywood Studios: 2 dias do nosso roteiro já estão reservados para conhecer esses 2 parques da Disney. Pelo que andei lendo, parece que são bem menores que os de Orlando, já me disseram inclusive que em 1 dia só consigo fazer os 2 parques, mas nós queremos curtir com mais calma, ir em todas as atrações (e repetir as preferidas), assistir as paradas e shows e almoçar com personagens.


Asterix Parc: Tenho certeza que o papai vai curtir muito as atrações mais radicais enquanto o Heitor se diverte nas atrações mais infantis. Ainda não pesquisei a fundo esse parque para saber em quais atrações o Heitor poderá ir, farei isso em breve.


Atrações / Museus: Fora os parques, vamos conhecer os pontos principais de Paris. Curtindo a beleza do local, mas num ritmo mais tranquilo, sem pressa e deixando o Heitor se divertir com tudo de novo que surgir para ele.


Torre Eifell: Não poderia ser deixava de fora. Vai ser bacana subir na torre com o Heitor e mostrar para ele como a cidade fica pequena lá embaixo. Para quem vai com crianças, vale a pena comprar o ingresso pela internet (só não pode esquecer de imprimir o cupom e levar) para evitar a fila para subir na torre.


Um passeio de barco pelo Sena também está nos nossos planos. Podemos ver as belezas de Paris enquanto o Heitor se diverte (que criança não adora barcos?!). Alguns desses passeios são mais voltados para as crianças, com histórias e músicas.


O La Villette é um lugar bem interessante, tem um museu bem interativo que costuma agradar muito as crianças (mas andei lendo que as crianças costumam se interessar mais a partir dos 3 anos), tem um playground, uma grande bola onde podemos ver filmes 360 graus. O jardim na frente do museu é ótimo para um piquenique. Acho que o planetário vai agradar bastante. E vai ser interessante também poder entrar em um submarino (opa, preciso ensinar para o Heitor o que é submarino...rsrsr).


O Jardin d'Acclimatation me parece bem interessante, tem carrossel, mini-golf, mini-fazendo, barco de controle remoto, mas ainda não sabemos se vamos lá, vai depender ainda dos outros passeios.


O Museu do Louvre vai ser parada obrigatória. Quero muito conhecer a Ala Egípcia e Mesopotâmia, quero poder incentivar a busca por esses tipos de conhecimento no Heitor. Ainda não sei se ele vai dar muito trabalho, mas acredito que estimulando a curiosidade do Heitor vai ser possível que ele explore bem o que o Museu tem a oferecer.


E sim, vamos passear de mão dadas com o Heitor pela Champs Elisées até chegar no Arco do Triunfo (e vamos subir lá em cima para ter uma linda imagem da Torre Eifell no final do dia), vamos conhecer o Palácio de Versalhes (que ele já conhece de um dos episódios do Mini-Einsteins), vamos explorar a Sacre Cour, a Saint Chapelle e a Catedral de Notre Dame (e contar para o Heitor que o Corcunda de Notre Dame vive ali), vamos sentar para lanchar em uma Boulangerie (e contar para o Heitor que o ratinho de Ratatouille ajudou a preparar nosso lanche). E sim, vamos curtir Paris ao lado do nosso filho (ainda pequeno) e eu sei que vai ser maravilhoso!

E aqui chego ao final desse post, que preparei com muito carinho para que muitas mamães se sintam motivadas a viajar com seus filhotes! Espero que as dicas sejam úteis e se alguém tiver dicas por favor deixem nos comentários, serão muito bem-vindas! 

20 comentários:

  1. Muito legal o post! Amanhã viajo com minha esposa e com meu pequeno (que tem 2 anos e 10 meses) para os EUA. Vamos visitar a Bisa que mora em Miami e depois Disney.

    as dicas caíram muito bem, e embora já tivéssemos pensado na maioria das coisa, algumas dicas serão importantes.

    Obrigado por dividir conosco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carara Michely vc disse tudo que eu penso!! Eu tb sou assim, se pari filho foi pra ter uma companhia nas horas boas ou ruins, certo? Só ainda não encarei levar a pequena para viagens a trabalho, pq o papai nunca tá de férias! rs

      Excluir
  2. Olá Michely, Eu notei que voce tem uma preucupação em relação ao clima e que voce nao gosta muito do calor, então vou te dar uma dica, eu e meus pais sempre programamos quando vamos a Disney em uma época diferente do ano justamente para saber qual época é a melhor, posso dizer que ja fui em todas as epocas e a melhor que eu achei foi final de janeiro inicio de fevereiro, nunca ta muuuito frio e nem muito calor, voce pode ficar confortavel com um moletom ou sem ele sempre ta por volta dos 25º. Então é isso espero ter ajudado

    Bjus, Gabi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, minha próxima viagem para Disney vai ser ano que vem, exatamente na data que vc indicou! Tenho certeza que será maravilhoso!
      Obrigada pela dica!
      bjos

      Excluir
  3. Olá familia Lares, queria agradecer pela visita e por toda ajuda! Abraços, Aline e Familia.

    ResponderExcluir
  4. Oi Michele, comecei a ler seu post e estou gostando muito, esse ano levaremos nosso bebe para a Disney e ele estará com 1e 5 meses. Diferente de vc acho importante os momentos a sos com meu marido tb, nossa idéia eh revezar sempre fazendo uma viagem com ele e outra apenas nos dois. Vamos ver se eu consigo por isso em pratica, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anna, o mais importante é cada família agir como funciona pra si, né?! Nós curtimos viajar com nosso filho e o tempo passa tão rápido que logo ele estará grande e eu e me marido teremos todo o tempo do mundo para viajar a sós. Então agora o tempo é do pequeno e ele vai na mala com a gente para qualquer que seja o destino!
      O importante é aproveitar!!!

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Michely, mais uma vez parabéns por toda a ajuda que você dá a várias famílias pelo Brasil a fora, e com relação a viajar com ou sem o bebê eu já tive a experiência de viajar sem o meu pequeno, na primeira e única vez que fui a Disney o meu filho estava com três meses e eu e a minha esposa com muita dor no coração deixamos ele, nossa viajem foi curta, de apenas uma semana, mas vou te falar que não conseguimos aproveitar na plenitude a maravilha que é a Disney, pois simplesmente em corpo nós estávamos lá, mas o nossos corações estavam aqui no Brasil com o nosso pequeno, que sensação ruim, sério foi muito difícil, amei a Disney, mas ficou uma sensação que poderia ter sido muito melhor se tivesse com o meu pequeno, por isso em setembro iremos voltar, mas dessa vez com o meu molequinho que estará com um ano e 11 meses, e umas das responsáveis por essa decisão com certeza é você com os seus relatos e dicas que deixam nós pais mais tranquilos e confiantes de que tudo irá dar certo. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio, eu muuuuuito feliz e emocionada em ouvir isso!

      Eu lembro bem de vc comentando (Orkut, né?) da decisão de viajar só vc e sua esposa. E como mãe eu já sabia que seria difícil pra vcs. Acho que chegar na Disney, onde tudo é tão mágico e voltado para as crianças, sem nossos pequenos deve ser muito sofrido. Tudo faz lembrar e a viagem não é completa, né?!

      Mas quero saber como foi a viagem com o seu filho! Ele curtiu?

      bjo

      Excluir
  7. Parabens por ser tao detalhista em todos seus posts. Sempre viajo com meu baixinho. Ja acostumou desde a barriga viajar, e nao deixo pra tras mesmo, nao importam as criticas.... Estou indo daqui 20 dias pra orlando/miami e meu filho miguel de 1 ano e 6 meses vai junto conosco.....
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Flavia, bom demais viajar com filho, né?! Eu sou sempre a favor! É claro que cada um sabe da sua vida, mas o meu filho vai comigo onde eu for! rsrsrs

      Tenho certeza que Miguel curtiu muito a Disney!
      bjos

      Excluir
  8. Muito informativo esse post!!
    Com certeza vai incentivar mais famílias a viajarem com seus pequenos =)
    parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Daniela! Essa é a ideia, ajuda r e incentivar mamães a viajarem com seus filhos! Espero que dê certo!
      bjos

      Excluir
  9. Minha dica é tirar suas férias na Praia do Rosa SC , visite o website:

    http://www.praiadorosa.blog.br .

    ResponderExcluir
  10. Ola Familia, adorei o blog e as dicas da Disney!! Estamos indo mês que vem com meu filho de 1 ano e meio e acho que ele vai curtir muuuito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,
      Fico feliz que tenha gostado das dicas sobre Disney. Espero que seu filho tenha curtido muito. Eu acho que 1 ano e meio é uma idade maravilhosa para viajar...eles já andam, estão começando as primeiras palavrinhas, são bonzinhos (ainda não fazem muita birra) e topam qualquer passeio. :-)

      Excluir
  11. Olá! Estamos planejando uma viagem ao exterior para quando nosso bebê completar 1 ano, e claro, a família é contra!
    Vou indicar seu blog a todos meus parentes...rsrs
    Obrigada pelas dicas!! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeniffer, Que bacana! Mostre para a família sim. Viajar com filhos é maravilhoso. Dá aquele trabalho básico, mas vale muito a pena. Uma vez eu li uma mãe que disse algo como "Minha filha pode não lembrar de nada da viagem, mas eu nunca vou esquecer a carinha dela e tudo que ela viveu na viagem". Se eles não lembrarem de nada, tudo bem, nós nunca vamos esquecer.
      bjos

      Excluir